O Teste da Orelhinha tecnicamente se chama “Teste da presença de emissões otoacústicas”.

Através dele pode-se saber se o bebê ouve, ainda que nos primeiros dias de vida.

É um exame rápido, não tem qualquer contra-indicação, não acorda nem incomoda o bebê e não causa desconforto.

O exame é realizado por uma fonoaudióloga, na maternidade, aproximadamente 48 horas após o nascimento. Tem a duração de 3 a 5 minutos, e é realizado preferencialmente com o bebê dormindo. Não exige nenhuma intervenção invasiva (uso de agulhas, sedação ou eletrodos).

Deve ser realizada até o terceiro mês de vida!

O objetivo do exame é detectar precocemente a deficiência auditiva. Não avalia o grau da perda, mas é capaz de detectar possíveis alterações auditivas nos primeiros meses de vida, possibilitando uma intervenção precoce que propiciará à criança um desenvolvimento de fala e linguagem próximo da normalidade.

A Lei Federal 12.303/10 diz que o teste deve estar disponível em todos os hospitais e maternidades. Como ainda não é realidade em todo o país, é importante verificar os locais específicos onde o paciente pode ser prontamente atendido.

Fatores de risco para a surdez : 

Bebê de 0 a 28 dias 

- História familiar: ter outros casos de surdez na família; 
- Infecção intra-uterina: provocada por citomegalovírus, rubéola, sífilis, herpes genital ou toxoplasmose; 
- Baixo peso; 
- Hiperbilirubinemia: doença que ocorre 24 horas depois do parto. O bebê fica todo amarelo por causa do aumento de uma subståncia chamada bilirrubina; 
- Medicações ototóxicas; 
- Síndromes neurológicas: Síndrome de Down ou de Waldemburg, entre outros.

Roseli Gonçalves

Pedagoga, Psicopedagoga, Professora de surdos e mãe da Giulia

www.maosemmovimento.com.br